Boletim

Permanência

 

JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO
JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO

Janeiro de 2007

 

Iniciamos hoje uma nova versão do nosso Boletim. É dupla a finalidade. Por um lado, torná-lo mais versátil e atraente no resumo das atualizações dos nossos sites e, por outro lado, trazer aos nossos leitores pequenas notícias ou comentários do dia à dia.

Porém, é preciso assinalar que a vocação da Permanência não é a da informação. Há 38 anos trabalhamos na formação do pensamento católico, oferecendo textos de fundo, que exigem reflexão e estudo, além de um delicado discernimento para reconhecer a voz da nossa Madre, a Igreja, nestes tempos calamitosos em que muitos relinchos do Cavalo de Tróia se fazem ouvir, vindos de Roma. Queremos que nossos sites sirvam como um tesouro católico onde qualquer pessoa encontre alimento espiritual, doutrinário e moral, bebendo nas fontes límpidas da Igreja, de seus santos e mestres.

 

ATUALIZAÇÕES:

"Re-lançamento" do Boletim Permanência em novo formato.

Gustavo Corção: 2 editoriais Permanência "A Igreja é dona da verdade" e "Depravação do corpo: 'eles' começam pelas crianças"

Suma Teológica: novas questões (Ia IIae qq. 51 - 54)

Sim Sim Não Não: A Devoção ao Menino Jesus, "Instaurare omnia in Christo" — nota biográfica sobre S. Pio X, O Drama histórico de dois sacrifícios

Revista Permanência: 2o. capítulo do livro "O Movimento Litúrgico", do Pde. Bonneterre; "O Sentido profundo da obra de Machado de Assis", de Gladstone Chaves de Melo; "A República do Pensamento", de Alfredo Lage

Site da Capela: VI capítulo das Meditações de S. Roberto Belarmino sobre "As 7 palavras ditas por Cristo na Cruz"

 NOTÍCIAS E COMENTÁRIOS:

 
Novo Site da Tradição no Brasil

Comecemos pagando uma dívida: até hoje não anunciamos aos nossos leitores o novo site da Fraternidade São Pio X, no Brasil.  Eis o endereço: http://www.fsspx-brasil.com.br/. Nossos leitores encontrarão ali já uma boa coleção de textos históricos sobre a Fraternidade, sobre seu fundador, Mons. Marcel Lefebvre, sobre a defesa da fé e da Tradição e muitos outros assuntos.

O buquê espiritual - Um milhão de terços rezados? Muito mais!

Muitos devem saber que a Fraternidade São Pio X tomou a iniciativa de encaminhar ao Papa Bento XVI um buquê ou ramalhete espiritual, de um milhão de terços rezados pedindo a liberação da Missa de S. Pio V para todos os padres do mundo. O resultado foi, no mínimo, surpreendente: foram computados dois milhões e quatrocentos mil terços rezados pelo mundo afora. Esta é a força da Tradição, a força de um catolicismo verdadeiro, que toma as armas tradicionais e não as invencionices modernistas. Agora aguardamos um posicionamento do Vaticano. Eles que se dizem tão democráticos, o que farão diante da vox populi? As pressões dos modernistas são enormes, para não permitir que o Papa assine o tal decreto prometido já há mais de um ano. Apesar de nós não precisarmos de um novo indulto, visto que a Bula de S. Pio V nos dá total liberdade e até mesmo obrigação, na celebração da missa tridentina, reconhecemos que é um bem, para os hesitantes que têm medo de estar ferindo algum tipo de obediência, se assistirem à Santa Missa de sempre. Continuemos, portanto, a rezar nesta intenção.

Mais um padre saído de nossas fileiras

Gustavo Corção, Julio Fleichman e tantos outros amigos da nossa Permanência devem estar orgulhosos, como nós. No último dia 23 de dezembro, foi ordenado sacerdote de Jesus Cristo o jovem Rodolfo Eccard, de Niterói. Trata-se do sétimo padre saído de nossas fileiras. A palavra de Nosso Senhor, "pelos frutos conhecereis a árvore" é a mais eloqüente prova da fertilidade da graça nas almas bem dispostas, esquecidas de si mesmas, para que Nosso Salvador reine nos seus corações.

Veja as fotos da Ordenação do Pe. Rodolfo, da Fraternidade São Pio X, no site Dici.org

Homenagem à PERMANÊNCIA

Veio do Chile uma singular homenagem. Depois da experiência da criação de uma rádio católica para a defesa da tradição na Argentina, surgiu uma emissora chilena, a rádio Convicción, que conta, entre outras novidades, com uma programação em português chamada "Caminhos da Tradição". O primeiro capítulo trata de Gustavo Corção e do nosso movimento.

Ouça os Programas da rádio Convicción em português

 LIVRARIA:

Começamos a revender um livro magistral, "A Verdade Sufocada - a história que a esquerda não quer que o Brasil conheça", do Cel. Carlos Alberto Brilhante Ulstra. Leia a nota de Dom Lourenço Fleichman OSB sobre o livro:
 

 1964 - Este é o ano que divide as águas brasileiras. Não apenas as do Amazonas e Rio Negro, mas as almas de todos nós. O certo e o errado, a verdade e a mentira. Depois de termos vivido os tempos de paz e prosperidade que o movimento democrático militar nos proporcionou, assistimos, todos os dias, impotentes, a mentira ser jogada, empurrada, cuspida contra o povo que eles dizem adorar.

"Ontem à tarde à porta da estalagem
falava o homem das cidades.
Falava comigo também.
Falava da justiça e da luta para haver justiça
e dos operários que sofrem
e dos pobres que têm fome
e dos ricos que só têm costas para isto.
E olhando para mim, viu-me lágrimas aos olhos
e sorria com agrado julgando
que eu sentia o ódio que ele sentia
e a compaixão que ele dizia que sentia
."    (Fernando Pessoa)

Velhos e moços, crianças na sétima série, todos são massacrados com a idéia de que nossos soldados foram uns brutamontes cruéis e carniceiros, babando sangue, atacando coitadinhos inocentes só porque não pensavam como eles.

Eis a razão deste engodo: A VINGANÇA DOS DERROTADOS.

Em que consiste esta vingança, e em que consiste esta derrota? Eu não teria meios para descrever com toda a precisão histórica aquilo que eu sei e que muitos ainda sabem e são obrigados a guardar no coração, no silêncio, na perplexidade. Tirando um artigo ou outro, que logo é esquecido, tirando alguns poucos livros editados pela Bibliex e que só são lidos por militares, ainda não tínhamos visto um trabalho de peso que nos contasse a Verdade com tantas provas e documentos, diante dos quais até os maiores inimigos do nosso Exército se calam. E boicotam o livro, é claro.

Coube ao Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra realizar um trabalho magistral.

 A VERDADE SUFOCADA – A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça (Compre aqui)

 

São 540 páginas de um texto leve, bem escrito, ponderado e sobretudo preciso e verdadeiro. Um livro escrito com amor. Descobre-se ali a alma boa deste homem que hoje é acusado em juízo porque o rancor e o ressentimento dos inimigos do Brasil não suportavam ver nossos soldados não serem perseguidos e vingados. As indenizações milionárias para terroristas e assassinos não eram suficiente. Escolheram a ele, mas escolheram mal. Não podiam imaginar que a verdade seria contada, que as mentiras dos guerrilheiros e terroristas que disseminaram ódio e sangue seriam reveladas com tanta documentação, com a tranqüila paz daqueles que combatem por Deus e pela Verdade.

Quantas e quantas vezes ouvi de pessoas sérias que minha posição em favor dos militares precisava ser revista, que as torturas e mortes eram comprovadas.... e eu não tinha documentos para provar nada. Agora tenho, pois está tudo ali. Agora podemos voltar a dizer bem alto: o movimento militar de 1964 foi uma exigência do povo brasileiro, um chamado do Congresso Nacional que exigiu dos militares que salvassem o Brasil. As medidas de exceção só existiram porque os militares foram sendo acuados por uma guerrilha cubana, alimentada por Moscou, anterior a 1964, e que afirmava, em palavras e em ações terroristas, seus desígnios: implantar no Brasil a luta armada, a ditadura do proletariado, essa mesma que está por aí na sarjeta da história exalando ainda um resto do fedor do seu apodrecimento e de sua derrota.

O Cel. Ustra mostra muito bem que nunca houve uma ditadura militar no Brasil. Houve, sim, uma Contra-Revolução derrubando a ditadura comunista, assassina, totalitária e vergonhosa. E repito: as medidas de exceção só existiram para os guerrilheiros e seus fomentadores; no meio desta guerra, o povo vivia feliz e livre, e esta foi a maior vitória dos nossos militares.

 E como este livro é um “cala-boca” magistral, só podia ser boicotado. Pelo seu teor, faria a festa de qualquer grande editora. Mas elas fazem parte da gangue, e não quiseram editá-lo. Pela farta documentação e precisão histórica, este livro merece largamente os Prêmios das Academias, mas hoje só se premia os autores politicamente corretos, ou seja, de esquerda. Sabem quantas livrarias o vendem, em todo o Brasil? Quatro! Porque? Se a esquerda fosse tão confiante em si mesma, não se importaria e teria argumentos para combatê-lo. Mas não tem, e boicota.

Por isso, abrimos as portas da nossa Permanência, porque somos brasileiros, patriotas, e queremos ver nossos jovens conhecendo a verdade e não a mentira.

Dom Lourenço Fleichman OSB

Para comprar o livro, entre aqui na nossa loja virtual

 

Tempora mala sunt