O que podemos esperar de Geraldo Alckmin?

 

Dom Lourenço Fleichman OSB

Estava precisando escrever sobre as eleições. Queria manifestar nosso repúdio ao comunismo que nos assola, que vai fechando o cerco. Já não se trata daquela antiga Cortina de Ferro, pelo menos enquanto o Brasil não se transformar numa nova Venezuela. A escravidão à qual já estamos submetidos nos impede de pensar. Já não é permitido elaborar um pensamento qualquer que não comungue com a Revolução. Se evocamos a História, eles vão lá e falsificam a História. Se apontamos ao Céu e reclamamos o respeito à Lei de Deus, eles gritam: o Povo é nosso único Deus (mas "o Deus deles é o ventre") E entre ideologias e blasfêmias somos empurrados, açoitados, e condenados ao ostracismo intelectual e religioso.

Claro que vamos votar em Geraldo Alckmin. Todo o Brasil que ainda guarda um resto de dignidade e de esperança vai votar em Geraldo Alckmin. E nós da Permanência, não temos vergonha de nos ajoelharmos diante da imagem de Nossa Senhora Aparecida para suplicar pelo Brasil. Porque sabemos que Deus é quem governa os homens.

Alguns articulistas vagam por aí se lamentando, desde já, pela difícil transição que acontecerá, depois da vitória do condidato do PSDB. Claro que o PT estará lá dentro, nos diversos escalões do governo, nas instituições, até mesmo nas Forças Armadas, para manter aceso o fogo e a fumaça da tirania cultural. Não será fácil se livrar deles assim. Mas não está aí a minha preocupação.

Fico deprimido por ser obrigado a votar dentro de um mundo onde ninguém pensa. Prestem atenção: é evidente que o PT instituiu a maior máquina de corrupção que já se conheceu neste país. Mas o que nós gostaríamos de ver é um partido ou um candidato que fosse escolhido porque pensa, e não só porque é menos corrupto ou porque soube fazer as melhores alianças. Ainda estamos aguardando aparecer um partido ou um candidato que não seja dependente do massacre ideológico que sofremos há tanto tempo.

Tenho que tomar Plasil quando vejo estes homens já adultos brincando de "Ciranda Cirandinha", bajulando, se abraçando, sem um pensamento sério que produza em suas almas algo próximo de uma convicção baseada na verdade. Tudo o que lhes ocorre é o aproveitamento pessoal, é a carreira política, é o cargo no Ministério.

E eles querem me obrigar a achar que o Sufrágio Universal é a mais pura manifestação da tal Democracia? O que me assusta é ver esta máquina eleitoreira rangindo, grunhindo, cospindo fogo pelas narinas eletrônicas e aqueles em quem sou obrigado a votar, falando com cara séria, que aquele monstro é bonzinho e se chama Democracia! Isso me assusta porque mostra que as pessoas já não pensam direito, perderam a capacidade de distinguir entre um Congresso e uma casa de prostituição. Nada nesse mundo me fará crer que o fato de ser a escolha da maioria, do maior número, transforme o mau em bom e o crime em virtude.

Eu aprendi no berço da Igreja Católica, embalado pelos Santos Doutores, que só a Verdade nos liberta. Que nada há de mais reluzente, de mais brilhante e forte do que a Verdade. A Verdade dos homens nada mais é do que uma participação na Verdade Eterna que é o próprio Deus, sua Sabedoria Eterna, o Verbo, o Filho, nesta Trindade Santa que nos criou para Si, que nos Salvou com seu Sangue, que nos ensinou a rezar: Venha a nós o Vosso Reino.

Infelizmente, a vitória de Geraldo Alckmin não nos devolverá o Reino da Verdade. Ela trará de volta os liberais de centro-esquerda. E foi o Liberalismo que nos conduziu a esta prisão atual. Pela obra liberal, pelo voto liberal, pela Democracia liberal, por aqueles que proclamam a Liberdade como deusa, fomos feitos prisioneiros, escravos do comunismo cultural. Porque se afastaram da Verdade. Quero saber quem vai me pagar indenizações milionárias por causa da tortura espiritual e psicológica que me aplicam todos os dias. Quando precisamos escapar da escravidão que já nos domina a mente, caímos no polvo do Liberalismo: escorregadio, amorfo, tentacular, paralisante e mentiroso. E principalmente ateu. Dizem que pregam a liberdade: a liberdade de imprensa, a liberdade de culto, a liberdade de ensino.... Na verdade o trabalho vem sendo feito há décadas. Começa com a burrificação das inteligências pela paralisação das forças ativas do conhecimento, o que é obtido pelo vício da televisão e outras mídias semelhantes. A vontade virtuosa vai sendo amolecida pela difusão livre de todos os prazeres e pecados. Estas coisas todas nos entravam a inteligência, enganam o amor, roubam o tempo precioso da nossa virtude e da honra. Nós temos que dizer o que eles querem que digamos; nós fazemos o que eles querem que façamos. Livres, enfim, é o que dizem! Sem Deus, sem Pátria, sem Religião, sem saída.

Não se pode trabalhar pelo Bem Comum sem considerar que a Sociedade foi ordenada por Deus para ajudar os homens a praticar as virtudes, único meio de ser feliz para sempre. Neste caminho, os homens precisam uns dos outros, precisam das Cidades, das Pátrias, para serem bons, terem méritos. Neste caminho os maus precisam ser castigados para que os fracos não se deixem levar pelo crime e pelo pecado. Trabalhar para o Bem Comum é dar ao Brasil um caminho de acordo com sua essência, suas raízes, sua fé. Mas hoje está muito difícil saber onde se encontra o verdadeiro Brasil.

Ficamos por isso, à mercê desses candidatos em quem votamos, e desses intelectuais que costumamos ler porque combatem a mesma lama que nós combatemos. Mas eles também só têm como fundamento esta falsa liberdade. Hora nenhuma se submetem à Verdade superior, divina, eterna. Nem passa pela cabeça dessa gente a idéia de que devemos nos submeter à Lei de Deus, aos seus Mandamentos; apóiam ou reprovam projetos no balanço dos seus interesses particulares, ou dos interesses do seu Partido. Deus e a Religião Revelada por Deus são apenas idéias, são reduzidos a ideologias, sem vida, sem Majestade, sem poder. Ao contrário, Deus é quem serve aos homens, pois sempre que lhes interessa eles o invocam. Mas pactuam com a idéia de Deus com a mesma semvergonhice com que se vendem ao Diabo. Isso não é política. Isso tudo é o avesso da Política. É por isso que fabricam Constituições e leis que promovem pecados, que legitimam crimes, matam crianças vivas na barriga de suas mães, inventam famílias que ferem a natureza criada por Deus e se preparam para matar os velhinhos quando não forem mais "produtivos".

Mas não temos escolha. A Divina Providência nos proporcionou pelo menos um candidato "votável"; alguém que tem princípios católicos, que é bom administrador e que não inclui no seu programa de governo práticas diretamente contrárias à Lei de Deus. Quanto ao futuro, só a Deus pertence.

 

Para sair feche esta janela